Pedaços de mim

Pedaços de mim e do que me rodeia… Palavras soltas… Retalhos…

esperar… 29/09/2009

Filed under: educação,sociedade — jo @ 19:40

é que até eu sofro ao vê-los….

e como custa esperar, aguentar, ignorar… grr

muito bom!!

Anúncios
 

nesta sala: nós não desistimos 11/09/2009

Filed under: educação — jo @ 18:50

Porque razão tenho esta vontade de o abraçar? Porque razão sinto que ele já me conquistou?

Já me magoou com as suas palavras ingénuas e cruelmente frias, já me gelou com o tom com que se dirigiu a mim. Já me retirou todas as forças e, por momentos, apenas breves momentos, fez-me por tudo em causa.

E estranhamente, ou não, sinto que me conquistou no primeiro momento.

Não vou desistir de ti.

Porque não se desiste de quem se gosta

 

gripe 03/09/2009

Filed under: educação,sociedade — jo @ 19:20

Acho que eles já sabem os passos todos de cor.

Quanto a mim, já tenho as mãos um tanto ou quanto secas… 😉

Image Hosted by ImageShack.us

 

resumo 02/09/2009

Filed under: educação — jo @ 19:24

Podia dizer imensa coisa mas há apenas uma que resume:

estou feliz.


Pelos saltos dados, mas sobretudo, pelos abraços!

Pelo sentido que tudo vai ganhando…

 

Os olhos do coração 26/08/2009

Filed under: educação,leitura,música — jo @ 10:24

Há muito que procurava este livro. Descobri-o em Matosinhos, durante uma semana de estágio. Durante os dias as músicas rolavam e as crianças entoavam sempre que podiam as músicas.

Hoje, pelo correio, chegou finalmente…

Image Hosted by ImageShack.us

Chama-se Os Olhos do Coração e é Luís Portugal que dá a voz e tudo o resto. As letras e ilustrações são de José Guedes.

Por entre as minhas favoritas temos uma que diz:

“A guerra já começou,

também quero ir guerrear,

mas a mamã não me deixa,

tenho a sopa para acabar!

Os adultos só entendem

as coisas como elas são,

não sabem olhar as coisas

como os olhos do coração.”

ou

“Eu não estou bem convencido,

parece-me até esquisito.

Cá para mim, esta cegonha,

em vez de um maninho novo,

traz mas é água no bico.

Com tantos sítios bonitos,

eu cá para mim achei mal

a cegonha ter escolhido

entregar o mano Xixas

numa cama de hospital.”

 

o mundo é a nossa casa 02/04/2009

Filed under: educação,leitura,mundo,sociedade,tempo — jo @ 18:34

Quem já visitou a minha estante, a minha cambaleante mas resistente estante, quem a conheceu de perto, mas mesmo de perto, conhece um livro. Conhece o meu livro. Não que tenha sido mais caro que outros, não que as ilustrações sejam mais belas e eruditas, não que as palavras sejam poéticas. Mas é o meu livro.

Quem me conhece, quem comigo já partilhou estes livros, conhece-o. Quem vive comigo há vinte e quatro anos sabe que foi este que guardei para mim. Que esta é uma das minhas heranças de um tempo que já lá vai.

Sempre o chamei de O mundo é a nossa casa, sempre o guardei com carinho, receando pelas páginas rasgadas e pela cor gasta pelo tempo.

Foi publicado em 1975 e nas suas páginas surge a letra da minha mãe anotando as indicações de uma casa algures na rua José Duro, uma transversal da Avenida da Igreja.

Há pouco disse que o chamava de O mundo é a nossa casa. Hoje descobri que esse é o seu título verdadeiro.

Em pleno dia do livro infantil passeava os dedos pelos livros desta secção da FNAC quando me saltou uma lombada à vista: O mundo é a nossa casa. Apressadamente tirei-o da estante, peguei nele e gaguejei.

Sempre guardei o meu religiosamente, nunca haveria de ser emprestado. Era, julgava eu, um exemplar único para mim e difícil de encontrar em outro lado. Mas…

Foi reeditado!

E agora, com os dois na mão vejo as diferenças. O texto foi actualizado aos dias de hoje, os problemas da sociedade de hoje foram introduzidos no livro. Agora tenho os dois…

Mas o meu… continuará a ser o primeiro!

 

 

 

O mundo é a nossa casa
dizemos nós porque é
no mundo que todos os
homens vivem como uma
grande família numa
grande casa Mas a
família dos homens está
dividida e há uns que
vivem como senhores e
os outros como escravos
E por isso há guerras
e as crises e a fome
Por isso a casa está em
ruínas e em risco de se
tornar inabitável Por
isso ninguém se sente no
mundo como em sua casa
É preciso e urgente
Transformar a maneira
de viver no mundo e é
para o conseguirmos que
muitos homens trabalham
e lutam Toda a gente
sabe estas coisas mas
nem todos gostam
de falar nelas
e foi por isso que fizemos este livro”
Júlio Moreira,
Sena da Silva,
Cristina Reis e
Margarida D’Orey

 

Image Hosted by ImageShack.us

 

dia do amor 13/02/2009

Filed under: educação,ESE,espírito,tempo — jo @ 22:10

local . recreio

personagens . eu e uma princesa de 8 anos

 

m . oh! amanhã é o dia dos namorados e não tenho nenhum!!

j . não m., amanhã é muito mais do que isso. é o dia do amor!

m . oh! (fazendo cara de princesa amuda)

j . verdade. é o dia de todos os amores! e por isso tens é de estar com quem gostas e dizer-lhes o quanto gostas.

m . ah, pois. é verdade (já com meio sorriso)

j . todos os dias são bons para dizer que gostamos de alguém. por exemplo, hoje já disseste?

m . não…

j . então tens de dizer, já vamos a meio da manhã!

m . (e de braços abertos salta-me para o peito e diz de sorriso largado) Gosto de ti!!!